Jornal A Voz da Figueira

Switch to desktop Register Login

A Voz da Figueira

A Voz da Figueira

Deixe-nos a sua opinião

Website URL:

Livros apresentados no Casino pelo diretor da Biblioteca de Coimbra


A obra patrocinada e apresentada no Casino Figueira “João de Barros e o Diário de Lisboa”, volume I (1921 – 1930) e volume II (1931-1940), pelo figueirense diretor da Biblioteca da Universidade de Coimbra foi considerada pelo académico como «prodigiosa pela perseverança e coesão», disse José Augusto Bernardes, referindo-se às crónicas e anotações «judiciosas», feitas pelo neto de João de Barros, António de Barros, autor da compilação apresentada e que irá ter uma segunda parte, a lançar a 25 de outubro (data do falecimento de João de Barros), também no Casino.


Numa interessante e didática “aula” literária, José Bernardes falou de João de Barros, «grande nome do pensamento pedagógico nacional», que escreveu «perseverantemente sobre educação», algumas das quais «podiam ser transportadas para os nossos dias». Mas além da educação, João de Barros defendeu ao longo da vida, outras causas, como a língua portuguesa «o maior tesouro nacional», a figura de Camões, chamando a atenção «para a necessidade de se fazer um aproveitamento sadio», desse grande poeta que «emancipou a língua, respeitando o género mais exigente da altura, o épico». Outra batalha de João de Barros, explicou José Bernardes, foi a sua relação com o Brasil, pois acreditava que «o futuro da língua portuguesa» estava naquele país irmão, e por isso, em 1933, apoiou o acordo ortográfico.

Excerto da Notícia - Edição de 11 de Fevereiro de 2015

Embaixador nipónico visitou o concelho da Figueira da Foz


Fomentar as relações bilaterais entre a Figueira da Foz e o Japão foi o objetivo da visita do embaixador nipónico em Portugal, Hiroshi Azuma, que esta segunda-feira esteve no concelho para visitar empresas e pontos turísticos de interesse.

Na receção oficial, nos Paços do Concelho, o presidente da Câmara falou da boa localização estratégica da Figueira, situada «no centro do país e com boas acessibilidades». Ao embaixador, João Ataíde realçou também que se trata de um destino turístico de «excelência» e no que toca ao tecido empresarial tem «forte presença agroalimentar e nos setores do papel, plástico e vidro», disse.


Ora, os produtos alimentares e o turismo, foram precisamente as áreas visadas no discurso do embaixador: «pretende-se fomentar as relações de negócios e promover a cooperação nomeadamente no campo dos produtos agroalimentares e do mar», frisou Hiroshi Azuma.

Excerto da Notícia - Edição de 11 de Fevereiro de 2015

FIGUEIRA FECHOU O ANO COM MENOS DESEMPREGADOS INSCRITOS

quinta, 05 fevereiro 2015 10:59 Publicado em Destaques

Até ao final de dezembro de 2014 estavam inscritos 3.871 desempregados residentes no concelho, quase três centenas a menos do que em período homólogo de 2013.


No final de 2014, estavam inscritos no centro de emprego 3.871 pessoas residentes no concelho da Figueira da Foz. Menos 294 do que no final do ano anterior de 2013, em que se registavam 4.165 inscritos. Se recuarmos até 2010, verifica-se que 2012 e 2013 foram os anos com maior índice de inscrição, ultrapassando a casa dos 4 mil.

No final de 2008 estavam inscritos 2.644 desempregados no concelho, em 2009 aumentou para os 3.265, em 2010 situou-se em 3.032, em 2011 aumentou para 3.677.

Nova subida em 2012 para 4.379 inscritos, com ligeira descida no final de 2013, para 4.165 inscritos e agora nova diminuição para os 3.871 desempregados inscritos no concelho.


Uma tendência que também se verifica no total do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) da Figueira da Foz, que inclui além do concelho da Figueira, os de Montemor-o-Velho, Soure e Mira. No final de dezembro transato, estavam inscritos neste centro de emprego o total de 9.067 pessoas, face às 9.543 no período homólogo de 2013.

Excerto da Notícia - Edição de 4 de Fevereiro de 2015