Jornal A Voz da Figueira

Switch to desktop Register Login

A Voz da Figueira

A Voz da Figueira

Deixe-nos a sua opinião

Website URL:

Antiga FozNave em total destruição

sexta, 23 janeiro 2015 11:03 Publicado em Destaques

Vai ser averiguado se existe espólio a preservar na documentação abandonada


Os Estaleiros Navais da Figueira da Foz (FozNave / Navalfoz), no Cabedelo, encontram-se em «situação de total abandono, roubo, destruição e vandalismo, com toda a respetiva documentação a ser destruída, roubada e levada por quem quer que seja». Palavras de Alfredo Pinheiro Marques, diretor do Cemar, que foi alertado para aquela situação e deslocou-se ao local onde confirmou a destruição, a inúmera documentação pelo chão e os «próprios projetos e desenhos de Arquitetura Naval dos navios que nesses estaleiros foram construídos ao longo dos anos», refere este responsável, que ao longo da sua vida tem-se dedicado a preservar a história marítima no Cemar – Centro de Estudos do Mar, considerando o cenário «desolador».


Alfredo Pinheiro Marques informou a autarquia desta «infeliz situação», esperando que se possa fazer algo «quer em termos de segurança pública, quer em termos culturais e museológicos».

Excerto da Notícia - Edição de 21 de Janeiro de 2015

Mesmo fora das zonas de parqueamento não pago


Em zonas não abrangidas pelo estacionamento pago, os fiscais da empresa municipal podem levantar contra-ordenações em caso de mau estacionamento, mas não podem aplicar a tarifa de 5€, que é praticada nas zonas de parqueamento pago


Na última reunião de câmara municipal, o vereador Miguel Almeida, pela Coligação Somos Figueira, pediu esclarecimentos sobre a atuação dos fiscais da empresa municipal Figueira Parques (FP) no que se refere a estacionamento indevido fora de zonas não parqueadas, como em cima de passadeira, passeio ou outros exemplos.

De referir que se registaram situações em que os fiscais aplicaram a tarifa de 5€, tal qual praticam nas zonas parqueadas quando não há lugar ao pagamento do estacionamento ou quando se excedeu o tempo. Miguel Almeida salientou que, segundo comunicado da FP, a empresa municipal assume que «vai passar a levantar contra-ordenações que serão depois enviadas para a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR). 


Outra coisa é deixar o aviso para o pagamento dos 5 euros, em situações onde tinha que levantar a contra-ordenação para a Autoridade, isso é inaceitável», sublinhou o vereador da oposição, pretendendo saber que volume foi cobrado irregularmente, se pretendem devolver o dinheiro pago e indagou pelo apurar de responsabilidades sobre quem deu a ordem para esta atuação.

Excerto da Notícia - Edição de 21 de Janeiro de 2015

A Figueira da Foz é uma das 26 autarquias portuguesas signatárias do protocolo celebrado com o consórcio ClimAdaPT.Local, no âmbito da candidatura ao Programa AdaPT – “Estratégias Municipais de Adaptação às Alterações Climáticas”. Melhorar a capacidade dos municípios portugueses para incorporar a adaptação às alterações climáticas nos seus instrumentos de planeamento e nas suas intervenções locais/municipais é o principal objetivo desta ação.


Este Programa, promovido pela Agência Portuguesa do Ambiente, foi desenvolvido para apoiar financeiramente a atuação em matéria de adaptação às alterações climáticas em Portugal e inscreve-se no estabelecido no Memorando de Entendimento entre Portugal, Noruega, Islândia e Liechtenstein, no âmbito do Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu.

Excerto da Notícia - Edição de 21 de Janeiro de 2015